Ensino para a inovação: porque é tão importante formar pessoas inovadoras?

Autores

  • Pierry Teza Membro do Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI)
  • Viviane Brandão Miguez Membro do Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI)
  • Roberto Fabiano Fernandes Membro do Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI)
  • Jaqueline Tartari Membro do Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI)
  • João Artur de Souza Membro do Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI)
  • Gertrudes Aparecida Dandolini Membro do Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI)
  • Aline França de Abreu Membro do Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI)

DOI:

https://doi.org/10.18624/e-tech.v0i0.407

Palavras-chave:

Inovação. Competências para Inovação. Ensino para a Inovação.

Resumo

As organizações dependem da inovação para a sustentabilidade e melhoria de seus negócios por meio da obtenção de vantagem competitiva. Entretanto, a inovação não ocorre por si só, ela depende das pessoas que, por sua vez, pensam e realizam suas atividades interagindo de diversas formas entre si e com o processo. Nesse sentido, as pessoas devem possuir um conjunto de competências que facilitem o alcance dos objetivos organizacionais por meio da inovação. Uma parte dessas competências pode ser desenvolvida nas pessoas por meio do ensino, investindo no desenvolvimento dos novos profissionais que precisam ter mais do que conhecimento técnico: eles precisam ser inovadores. Partindo desse pressuposto, o estudo aqui relatado, por meio de revisão da literatura, mostra que novos perfis de profissionais são essenciais nas organizações contemporâneas e para formá-los é preciso investir no ensino para a inovação. Enfatiza-se a importância das competências individuais e das práticas de ensino para inovação, alertando para a carência de incentivo na educação para o ensino e desenvolvimento dessas competências em profissionais que atuarão em um mercado cada vez mais dinâmico e complexo, bem como precário de indivíduos que possam colaborar com o alcance dos objetivos das organizações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pierry Teza, Membro do Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI)

Doutorando do Programa de Pós-graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Especialista em Engenharia de Produção pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci (UNIASSELVI). Graduado em Administração de Empresas pela Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina (FESSC). Professor colaborador da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) atuando no curso de Administração Empresarial. Professor do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI sc) atuando no curso de Tecnologia em Gestão da Produção Industrial. Membro do Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI) onde desenvolve pesquisas na área de inovação com foco em Front End da Inovação.

Viviane Brandão Miguez, Membro do Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI)

Doutoranda em Engenharia de Produção na UFSC. Mestre em Engenharia do conhecimento (2012) pela Universidade Federal de Santa Catarina na área de Geração de Ideias no contexto da Inovação. Possui graduação em Sistemas de Informação pela Universidade do Sul de Santa Catarina (2006). Possui certificação Scrum Master. Atualmente pesquisa na área de inovação com foco em Front end da inovação.

Roberto Fabiano Fernandes, Membro do Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI)

Mestre em Engenharia e Gestão do Conhecimento pela Universidade Federal de Santa Catarina, possui especialização em Engenharia de Projetos de Software pela Unisul, graduado em Ciências da Computação pela Fundação Universidade Regional de Blumenau. Possui certificação Scrum Master. Tem experiência em Gerenciamento de Projetos. Atualmente é pesquisador do CNPq para o Projeto NAGI, onde pesquisa sobre inovação, com ênfase no desenvolvimento de ferramentas de apoio ao processo de gestão da inovação – concepção de metodologias e ferramentas para a criação de ambientes de inovação. Membro do grupo de pesquisa IGTI (Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação) onde desenvolve pesquisas na área de inovação com foco em Front End da Inovação.

Jaqueline Tartari, Membro do Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI)

Graduada em Letras Português e Literaturas pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) aprofundou os estudos em literaturas de língua portuguesa, destacando a literatura africana e cultura de massas, no intercâmbio realizado na Universidade de Coimbra (Portugal). Tem experiência docente em educação presencial e a distância na disciplina de Língua Portuguesa, utilizando a tecnologia e as novas mídias eletrônicas como veículo para aprimorar o conhecimento. Especialista em Educação a Distância, trabalhou com e-learning em empresas de tecnologia e no desenvolvimento de material didático para cursos de graduação na Unisul Virtual. Áreas de interesse: educação, tecnologia e inovação. Membro do grupo de pesquisa IGTI (Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação).

João Artur de Souza, Membro do Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI)

Graduado em Matemática (Licenciatura) pela Universidade Federal de Santa Catarina (1989), mestrado em Matemática e Computação Científica pela Universidade Federal de Santa Catarina (1993), doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (1999) e pós-doutorado pela Universidade Federal de Santa Catarina (2000). Atualmente é Professor Associado da Universidade Federal de Santa Catarina do Departamento de Engenharia do Conhecimento. Áreas de pesquisa: Educação a distância, Gestão da inovação, Inteligência Competitiva e Inteligência para Inovação. Membro do Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI).

Gertrudes Aparecida Dandolini, Membro do Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI)

Graduada em Matemática (Licenciatura) pela Universidade Federal de Santa Catarina (1992), mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (1997), e doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina(2000). Atualmente é Professora Associada da Universidade Federal de Santa Catarina do Departamento de Engenharia do Conhecimento. Área de pesquisa: Educação a distância, Inteligência Competitiva, Gestão da Inovação e Inteligência para inovação. Líder do grupo de pesquisa IGTI (Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação).

Aline França de Abreu, Membro do Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI)

Doutorado em Information Technology – Facultyof Engineering – Universityof Waterloo em 1995. Publicou 30 artigos em periódicos especializados e 112 trabalhos em anais de eventos. Possui 4 capítulos de livros e 5 livros publicados. Orientou 83 dissertações de mestrado e coorientou 2, orientou 12 teses de doutorado. Atua na área de Engenharia de Produção, com ênfase em inteligência de negócios, gestão da inovação e tecnologia da informação. Em suas atividades profissionais interagiu com 107 colaboradores em coautorias de trabalhos científicos. Em seu currículo lattes os termos mais frequentes na contextualização da produção cientifica são: tecnologia da informação, inovação, sistemas de informação, gestão do conhecimento, inteligência de negócios, inteligência competitiva, inteligência para inovação, competitividade. Líder do grupo de pesquisa IGTI (Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação)

Downloads

Publicado

2013-12-10

Como Citar

Teza, P., Miguez, V. B., Fernandes, R. F., Tartari, J., Souza, J. A. de, Dandolini, G. A., & Abreu, A. F. de. (2013). Ensino para a inovação: porque é tão importante formar pessoas inovadoras?. Revista E-Tech: Tecnologias Para Competitividade Industrial - ISSN - 1983-1838, 01–16. https://doi.org/10.18624/e-tech.v0i0.407

Edição

Seção

Caleidoscópio

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)